Wednesday, March 7, 2012

Eu quero o extraordinário!

Quem nunca experimentou o extraordinário, se contenta com o ordinário... Deus é extraordinário... Se me contento com o ordinário, estou perdendo mais da metade do que Deus preparou para mim!
"Todavia, como está escrito: "Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam". (1 Coríntios 2:9)
Só para esclarecer: ordinário quer dizer comum, que não é especial.
A alguns anos atrás, quando voltava de um culto, no carro com meu pai eu disse: "Pai, eu não consigo crer que a vida com Deus, servindo a Ele, sendo fiel a ele, se resume nisto que vivemos e vemos hoje! Tem que ter mais! Tem que ser mais! Deus não é só isso!..."
Minha frustração era evidente... Não que o culto do qual tinha participado tivesse sido ruim, ou qualquer coisa parecida, mas o meu coração ansiava por mais, mais do que aquilo de sempre! 
Eu estava cansada do ordinário... Eu estava cansada do comum... E me recusava a crer que Deus era somente aquilo... Era como se estivesse vivendo uma vida que não era a real!
E eu tinha vida razoavelmente boa, fazia meu devocional TODOS os dias, ia sempre à igreja, inclusive durante a semana, nunca fumei, nunca bebi, prestava atenção ao meu comportamento, me esforçcava para ter uma vida santa... E, às vezes conseguia, às vezes era mais difícil...
Mas faltava algo! Faltava mais!
Depois de alguns anos de oração, de busca, de clamor Deus me mostrou algo interessante: eu precisava ter meu coração aberto para Ele, e me livrar das tradições, do preconceitos, dos hábitos...  Se meu coração, minha alma estiver cheia de palavras e conceitos mundanos não vai sobrar lugar para aquilo que vem do CÉU!
A partir daí comecei a "re-estudar" alguns conceitos. A "re-analisar" alguns ensinamentos. E então, para minha surpresa, percebi o quanto "fariseu" eu era! O quanto me importavam os conceitos humanos, as opinões eclesiásticas, ao invés de me importar com o que a Palavra de Deus ensina... 
E então a Palavra foi se tornando cada vez mais clara aos meus olhos. E fui me aprofundando num Evangelho que nunca tinha vivenciado: um Evangelho de obediência racional, de amor genuíno, de milagres!
Comecei a experimentar o extraordinário de Deus!
E Deus começou a se revelar a mim extraordinariamente, todos os dias... Em sonhos, em Palavra, em confirmações, em milagres, em provisões, em cuidados e mimos que antes não percebia...  
É isso que Deus quer! Ele quer se revelar à você e a mim como Ele é: EXTRAORDINÁRIO! Em todas as situaçoes. As que percebemos e as que não percebemos... 
O diabo quer que nós acreditemos que Deus, que Jesus, é alguma coisa tão complexa, tão difícil, tão distante que até nos desanimamos de buscá-lo as vezes... Mas isso não é verdade! Deus é simples, é fácil, é perto... 
Se não experimentamos uma vida extraordinária na presença de Deus, algo está errado! Se não vivemos uma vida abundante no reino dEle, algo não está certo! Se nos contentamos, por anos a fio, com o ordinário    só vamos chegar até a borda do Mar Vermelho, mas não vamos atravessar...
Vida com Deus é extraordinária! 

A colheita

Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá 
Gálatas 6:7

Essa semana vi uma pessoa escrever esse versículo. E me senti imensamente triste e cansada porque veio o seguinte pensamento à minha mente: "Eu tenho plantado coisas boas... Eu tenho plantado amor, solidariedade, tenho ofertado em dinheiro e em ações. Tenho abençoado a vida daqueles que estão próximos de mim, tenho sido amiga, tenho oferecido meu ombro, tenho oferecido minha ajuda... E tudo o que tenho recebido é desprezo, solidão..."
Esse pensamento me deixou arrasada! Mas ao mesmo tempo comecei a questionar a Deus o que estava acontecendo.Por que eu me sentia assim, e por que eu não estou colhendo o que tenho plantado...
Meu coração estava realmente arrasado, e dolorido, e magoado, e ferido, e com vontade de gritar, de sumir... Resolvi ouvir música, louvores... E de repente eu senti no meu coração essa fala: "Você pode não estar colhendo o que você plantou porque você está semeando numa terra que não é boa o suficiente para frutificar como deveria!"
Fiquei de boca aberta! Será? Será que toda minha dedicação, amizade e apoio foram plantados num lugar infértil?
E lembrei-me da passagem abaixo:
"O semeador saiu a semear. Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram.
Parte dela caiu sobre pedras e, quando germinou, as plantas secaram, porque não havia umidade.
Outra parte caiu entre espinhos, que cresceram com ela e sufocaram as plantas.
Outra ainda caiu em boa terra. Cresceu e deu boa colheita, a cem por um". Tendo dito isso, exclamou: "Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça! " 
(Lucas 8:5-8)
E então, com uma clareza enorme, entendi o que Deus estava a me dizer. 
Eu tenho que plantar sim, e tenho que plantar coisas boas, tenho que plantar o bem... Mas se estou plantando em uma terra que não está saudável o suficiente para dar frutos, corro o risco de não colher frutos nenhum, e se colher, eles provavelmente serão mixos e feios, sem sabor e até apodrecidos... 
Tenho que olhar a terra que estou plantando...  E ter a consciência de que minhas expectativas não podem ser além daquilo que aquela terra pode me oferecer... 
Mas tenho que continuar plantando... Todas as  vezes que sei que preciso estender a mão devo fazê-lo, porque isso é uma ordenança:  "Pensem nisto: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado". (Tiago 4:17)
E a colheita, o retorno, pode vir de onde menos espero... Porque Deus é fiel e justo, e não se esquece de nossos atos de justiça e bondade, de amor e solidariedade, de respeito e  mansidão!
"E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos.
Portanto, enquanto temos oportunidade, façamos o bem a todos, especialmente aos da família da fé".
(Gálatas 6:9 e 10)
E Deus continuou falando ao meu coração. Eu também devo prestar atenção em que tipo de terra eu sou... E o que deixo ser plantado em meu coração. Não devo permitir que meu coração seja endurecido para a voz de Deus, e para aquilo que recebo dos meus irmãos...  Devo ser terra fértil para o amor, a solidariedade, a bondade, mas terra infértil para egoísmo, mentiras, desprezo e maledicência... Meu coração deve produzir bons frutos, que vão gerar boas sementes, para serem plantados em terra fértil!

A voz de Deus


E Deus lhe disse: Sai para fora, e põe-te neste monte perante o SENHOR. E eis que passava o SENHOR, como também um grande e forte vento que fendia os montes e quebrava as penhas diante do SENHOR; porém o SENHOR não estava no vento; e depois do vento um terremoto; também o SENHOR não estava no terremoto;
E depois do terremoto um fogo; porém também o SENHOR não estava no fogo; e depois do fogo uma voz mansa e delicada.
(1 Reis 19:11-12)

Para ouvirmos a voz do Senhor é preciso estar com o coração disponível, sem conceitos pré-estabelecidos... Quanto mais nosso coração se enche de opiniões sobre como Deus age,  se enche de achismos teológicos que colocam Deus numa a "caixinha" , menos somos capazes de ouvir a voz dEle!
Deus fala como Ele quer falar! Ele não fala como nós queremos ouvir!
Ele fala o que Ele quer falar! Ele não fala o que nós queremos ouvir!
Um coração cheio de opiniões, sentimentos, ressentimentos, fala alto demais e nos impede de ouvir a voz de Deus. Nosso coração tem que se calar, e se submeter à vontade do Senhor.
Nosso coração, nossa carne só quer o que é contrário à Palavra, mas temos que ter consciência de que nossa vontade  pode ser reforçada pelo poder da Palavra e do Nome de Jesus para vencermos a força da carne, a força do pecado.
Escolher se submeter, e ouvir a voz de Deus como Ele quer é o primeiro passo para uma vida de constantes experiências com Deus, de revelações, de milagres!
Não adianta lutar com a Palavra, e ficarmos revoltados com a verdade. Isso só atrasa, e até impede o mover de Deus em nossa existência.
É preciso ter coragem para se entregar à vontade de Deus, se curvar diante de sua soberania e crer, e esperar, e estar atento para ouvir a voz dEle!

Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás.(Salmos 51:17)